Publicado em O que nos liga ao mundo

(Con)Viver com os livros – continua√ß√£o

O nosso cantinho na sala de conv√≠vio da Escola B√°sica Ferreira Lapa est√° cada vez mais bonito e confort√°vel. Agora j√° tem sof√°s e telas decorativas elaboradas pelos alunos do 5¬ļA e B. Cada grupo de trabalho foi o respons√°vel por uma das obras de arte que v√£o decorar a sala de conv√≠vio enchendo-a de cor e alegria, como todas as escolas devem ser. As telas foram decoradas tamb√©m com restos de pap√©is, bot√Ķes e outros materiais que teriam como destino o lixo. Com pap√©is velhos tamb√©m se fizeram borboletas que, presas num fio de coco, voam do teto da sala de conv√≠vio.

√Č ver os alunos sentados no sof√° com um livrinho na m√£o e, √†s vezes, tamb√©m com o telem√≥vel. Esquecem-se que √© um cantinho da leitura. Mas vamos perdoando. Afinal, o que interessa √© que se sintam felizes e confort√°veis.

An√ļncios
Publicado em O que nos liga ao mundo, Uncategorized

(Con)Viver com os Livros – Cartazes

Os alunos do 5¬ļA e B, nas aulas de TIC puseram m√£os √† obra e decidiram elaborar uns fant√°sticos cartazes para divulga√ß√£o do espa√ßo de leitura informal “(Com)Viver com os Livros”.

Aqui est√° o resultado do trabalho desenvolvido.

Parabéns aos alunos pela criatividade e qualidade dos cartazes!

 

 

Publicado em O que nos liga ao mundo

(CON)VIVER COM LIVROS – Um espa√ßo informal de leitura

A  ligação ao mundo que nos rodeia levou-nos à sala de convívio da nossa escola. Entre as várias propostas dos alunos destacou-se a de tornar a sala de convívio mais apelativa, tendo-se  sugerido que fosse colocado, nesse espaço, um armário com livros que os alunos pudessem utilizar nos tempos livres.

Partindo desta √ļltima sugest√£o, os alunos do 5¬ļ A e B puseram m√£os √† obra. Uns trouxeram livros que j√° tinham lido, outros uma carpete usada para colocar no ch√£o. Alguns fizeram o regulamento de utiliza√ß√£o daquele espa√ßo e outros passaram um aviso nas turmas para explicar o objetivo daquele a que chamaram ‚Äú(Con)Viver com livros‚ÄĚ.

De acordo com o regulamento, a sua função é proporcionar o enriquecimento cultural e desenvolvimento intelectual dos alunos com os seguintes princípios:

– estimular nos alunos, o prazer de ler;

Рtornar possível o espírito de partilha;

– desenvolver nos alunos, o h√°bito de cuidar dos bens comuns;

Рassociar a Leitura à ocupação dos Tempos Livres.

Foram feitos vários desenhos para decoração e a Loja Solidária do Agrupamento contribuiu com a compra de almofadas coloridas.

Este espaço de leitura informal está pronto e todos os alunos da Escola Básica Ferreira Lapa podem usufruir de boas leituras e, ao mesmo tempo, podem doar livros para esta comunidade de leitores desejosos de novas leituras/aventuras.

Este trabalho na sala de convívio é para continuar.

Aguardem pelas próximas notícias.

Aqui ficam os registos fotogr√°ficos.

Publicado em O que nos liga ao mundo

Depois de Reutilizar… Reciclar

¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† Terminada a √©poca natal√≠cia √© tempo de retirar os enfeites, separar o lixo e coloc√°-lo no respetivo local de recolha, num ecoponto perto da escola.¬† Os alunos verificaram as cores diferentes dos ecopontos conforme o tipo de lixo e foi no ecoponto amarelo que depositaram os pl√°sticos coloridos, utilizados para revestir as bolas de Natal, j√° desgastadas pelo tempo. Estas voltaram a ser guardadas. Quem sabe n√£o encontraremos outra oportunidade para lhes dar uso. J√° diziam os antigos: ‚Äúguarda o que n√£o presta e encontrar√°s o que precisas‚ÄĚ.

Publicado em O que nos liga ao mundo

O que nos liga ao Mundo – Sa√≠da de campo

No √Ęmbito do Projeto: ‚ÄúO que nos liga ao mundo‚ÄĚ, os professores das v√°rias disciplinas que constituem a equipa pedag√≥gica das turmas A e B do 5¬ļ ano planificaram uma atividade, que tinha como objectivo principal levar os alunos a olhar, de uma forma diferente, uma parte do mundo que os rodeia.

Al√©m disso, tentou-se articular os saberes das v√°rias disciplinas, levar os alunos a interagir uns com os outros, trabalhando individualmente numas tarefas e em equipa noutras, levar os alunos a conhecerem melhor os espa√ßos naturais (a mata), que temos ao lado da nossa escola e, por fim, levar os alunos a refletirem sobre o quanto estamos a prejudicar esses mesmos espa√ßos e o que √© que poderemos fazer para deixar o mundo em que vivemos ‚Äúum pouco melhor‚ÄĚ.

Cada passo que vamos dando serve para nos ligarmos um pouco mais ao mundo…

Apresentamos algumas imagens e¬†divulgamos os textos escolhidos de entre os que foram elaborados, em pares nas aulas de Portugu√™s, pelos alunos das turmas A e B do 5¬ļ ano.

 

A nossa aula de campo

A nossa aula de campo foi na quinta-feira, à tarde, dia 15 de Novembro.

Antes de sairmos da Escola Básica Ferreira Lapa, parámos para os professores nos explicarem o que tínhamos de fazer e para nos darem uma ficha/roteiro com exercícios propostos por todas as disciplinas e a que devíamos dar resposta, individualmente e em grupo.

Depois, fomos todos explorar a mata. A mata era pequena, mas muito bonita. Pudemos verificar que havia vários tipos de árvores e alguns arbustos: carvalhos, pinheiros, castanheiros, eucaliptos, mimosas, …

Pediram-nos que recolhêssemos dez tipos de folhas diferentes e nós conseguimos encontrar folhas de forma oval, pontiagudas, de cor vermelha, amarela, laranja e castanha.

Nessa mata, infelizmente, também havia muita poluição. Espalhados pelo terreno observámos: cabides, colheres, pilhas, plásticos, garrafas de vidro, rolhas, pedaços de tecidos, entre outros.

Na ficha os professores pediam para medirmos a √°rea e o per√≠metro do terreno, que j√° tinha sido delimitado com umas estacas por um dos professores, por isso peg√°mos nas fitas m√©tricas e, em grupo, l√° fizemos as medi√ß√Ķes.

Desenhámos o que nos chamou mais a atenção naquele sítio, corremos ao ar livre, conversámos com os nossos colegas e, no final, apanhámos o lixo que havia na mata e esta ficou mais limpa!

A minha parte favorita foi quando medimos o perímetro e calculámos a área, mas foi uma tarde muito divertida e uma experiência enriquecedora!

 

Anais, n¬ļ 1¬† e Maria Carvalho, n¬ļ 10 ‚Äď 5¬ļ B

 

A aventura na mata

No dia quinze de novembro de 2018, as turmas do 5¬ļA e 5¬ļB foram fazer uma sa√≠da de campo, √† tarde, para uma mata perto da nossa escola.

Quando chegámos ao local deram-nos uma ficha, para preenchermos. A ficha continha várias atividades, como por exemplo: representar as várias árvores que encontrámos na mata, escrever os nomes das árvores lá encontradas, apanhar o lixo aí presente, medir a mata e dizer como estava o tempo e o que sentimos quando lá chegámos.

Divertimo-nos muito, todos juntos, achamos que foi uma atividade que se deve repetir mais vezes, porque nós tomamos consciência de que devemos proteger o planeta terra.

Pensamos que todos os professores e em todas as escolas deviam fazer isso com os seus alunos, porque estas atividades nos fazem reflectir sobre como cuidar melhor do planeta para não ser destruído.

Matias Oliveira 5¬ļA

Rafaela Amaral 5¬ļA

 

Uma aventura na mata

No passado dia 15 de novembro de 2018 fizemos uma saída de campo e preenchemos uma ficha onde enumerámos as árvores, medimos a mata e fomos apanhar o lixo, que lá encontrámos, para reciclar.

Esta atividade realizou-se em conjunto com a turma do 5¬ļB, no √Ęmbito do projeto que se est√° a desenvolver em DAC (Dom√≠nio da Autonomia Curricular. O tema escolhido para o projeto √© ‚ÄúO que nos liga ao mundo‚ÄĚ.

Na mata encontrámos árvores como o eucalipto, o castanheiro, o carvalho, o pinheiro, a mimosa, etc. Identificamos as folhas destas árvores e de outras plantas lá presentes com o auxílio de uma lupa. As professoras e os professores emprestaram-nos fitas métricas e, em conjunto, os elementos de cada grupo mediram a área e o perímetro da mata.

Já quase a terminar apanhámos o lixo presente na mata e depois de todos os grupos descobrirem o lixo que conseguiram, reunimo-nos e separámos o lixo de todos os grupos em sacos diferentes, que trouxemos para a escola. Posteriormente,  os professores foram depositar esses lixos nos respetivos ecopontos de reciclagem.

Esta atividade ajudou o ambiente, ajudou a que nos lig√°ssemos ainda mais ao mundo, foi muito divertida e educativa.

 

Maria Gomes, n¬ļ 10, 5¬ļ A¬†¬† e Martim, n¬ļ 12, 5¬ļ A

 

Publicado em O que nos liga ao mundo

O que nos liga ao mundo/escola?

Ap√≥s verificarem os aspetos a melhorar nos espa√ßos escolares, chegou a altura de os alunos proporem solu√ß√Ķes e apresentarem propostas para tornar a escola num lugar onde apete√ßa estar ainda mais.

Os grupos reuniram, pensaram, discutiram e das muitas cabeças saíram muitas sentenças. E que fantásticas ideias e propostas eles apresentaram!

Temos de concluir que, com esta actividade, os alunos manifestaram autonomia pessoal, desenvolveram ideias e projetos, com imagina√ß√£o e criatividade, interagiram com toler√Ęncia e, ao mesmo tempo, argumentaram e fundamentaram as suas propostas perante os restantes grupos de trabalho.

√Č assim que se aprende a ser consciente do mundo que nos rodeia, reconhecendo a import√Ęncia do trabalho colaborativo e aprendendo a questionar criticamente a realidade envolvente.

Assim, nos vamos ‚Äúligando ao mundo‚Ä̂Ķ

Aqui ficam algumas imagens das propostas apresentadas.



Publicado em O que nos liga ao mundo

O QUE NOS LIGA AO MUNDO?

Duas das respostas dos alunos a esta pergunta foram: a escola e os espa√ßos. Assim, foi proposto aos grupos de trabalho que dessem uma volta pelo espa√ßo escolar, lugar onde passam a maior parte do seu tempo semanal, e olhando √† sua volta, descobrissem situa√ß√Ķes a necessitar de melhoria ou eventuais falhas, desenvolvendo a compet√™ncia de indagador/investigador.

Na aula seguinte os grupos comunicaram oralmente aos restantes grupos as suas conclus√Ķes que puderam ser agrupadas em 5 temas mais gerais: problemas relacionados com recolha e tratamento de lixo; problemas relativos a quest√Ķes de higiene; quest√Ķes relacionadas com a jardinagem de espa√ßos exteriores; falta de decora√ß√£o para embelezamento dos espa√ßos; problemas gerais relacionados com a melhoria de espa√ßos espec√≠ficos na escola.

Foi um bom trabalho de observação, de análise e colaboração dos elementos dos grupos, seguida de boa apresentação, desenvolvendo a competência de comunicação através da exposição das ideias.